Recursos Humanos

Como deve ser o processo de demissão no contexto de pandemia?

Time Goowit
Escrito por Time Goowit em 2 de julho de 2020
Como deve ser o processo de demissão no contexto de pandemia?
Não perca mais nenhuma novidade!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos para desenvolver suas habilidades

Em um momento delicado como a pandemia do coronavírus, muitas empresas estão sentindo os impactos da crise e buscando alternativas para manter o negócio em funcionamento. O processo de demissão é uma dessas estratégias que, apesar de dolorosa, ajuda a manter as finanças em dia.

A pandemia trouxe a necessidade de desligar parte dos colaboradores para muitas empresas. Antes de iniciar esses processos, entretanto, é importante saber como demitir de forma correta, estratégica e demonstrando empatia com os profissionais que estão saindo.

Neste artigo, mostraremos o que diz a lei sobre as demissões durante a pandemia e como escolher os profissionais que serão desligados. Além disso, mostraremos como demitir de forma humanizada e quais benefícios podem ser mantidos. Confira!

Saiba o que diz a lei e as normas em relação às demissões provocadas pela pandemia

Muitas empresas estão em dúvida se podem ou não demitir os colaboradores durante a pandemia. Não existe uma única resposta para essa questão, pois é preciso avaliar os diferentes cenários e a causa da demissão.

De modo geral, o processo de demissão, mesmo em meio a pandemia, segue as regras normais da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Sendo assim, o funcionário que é desligado sem justa causa tem direito ao aviso prévio proporcional ao seu tempo de serviço, que poderá ser de até 90 dias.

Além disso, também recebe o saldo salarial, correspondente aos dias trabalhados e ainda não pagos. Ainda entram na conta o 13º salário proporcional, as férias proporcionais com mais um terço de seu valor, férias vencidas acrescidas de um terço e uma indenização no valor correspondente a 40% de seu saldo do fundo de garantia.

Quando a dispensa ocorre devido ao fechamento da empresa, a situação é um pouco diferente. De acordo com a CLT, quando uma organização encerra suas atividades, por motivo de força maior, a indenização de 40% sobre o FGTS, paga ao colaborador, se torna metade do valor total, sendo necessário pagar apenas 20%. Os outros direitos são pagos normalmente.

Para que esse direito seja assegurado, entretanto, é preciso provar que o fechamento ocorreu por motivo de força maior. A pandemia pode ser considerada dessa maneira, mas a empresa deve demonstrar que, no seu caso específico, o fechamento se deu em razão dela.

A terceira situação acontece com os profissionais que tiveram a jornada de trabalho e o salário reduzidos ou o contrato de trabalho suspenso, uma alternativa oferecida pelo Governo Federal para ajudar as empresas. Nesse caso, eles não poderão ser dispensados sem justa causa, durante o período de redução da jornada ou da suspensão do contrato. Isso também não pode ser feito após o restabelecimento normal do contrato, pelo mesmo período.

Veja como escolher as pessoas que serão desligadas

Demitir colaboradores nem sempre é a melhor alternativa, pois esses desligamentos podem trazer custos e atrapalhar a produtividade da empresa. Quando essa for a única solução, é importante encontrar uma estratégia para escolher quem será dispensado, causando menos danos financeiros e técnicos para o negócio.

De forma geral, você pode optar pelos colaboradores que não têm remuneração muito alta e uma qualificação menor. Além da demissão ser menos custosa, após a recuperação se torna mais fácil substituir esse profissional por outro, pois a função não requer tanto treinamento.

Se a função ou setor requer profissionais especializados, difíceis de se encontrar no mercado e que exijam custos de treinamento, talvez a melhor opção seja procurar outra saída, evitando a demissão. Lembre-se de que reter os talentos é uma forma de economizar, evitando gastos futuros.

Entenda como fazer o processo de demissão de forma humanizada

O processo de demissão envolve diversos aspectos e, quando feito de forma errada, pode causar impactos negativos para o profissional e para a empresa. Saber como demitir um funcionário é importante para qualquer organização, ainda mais no contexto da pandemia.

A demissão humanizada é feita de maneira justificada, comunicada e explicada com cuidado ao colaborador. Para isso, é necessário considerar o respeito pelo profissional e por sua história dentro da organização, mostrando como o trabalho foi importante.

Independente do motivo da demissão, é importante deixar claro ao profissional de que forma ele colaborou com a empresa. Ao mesmo tempo, deixe claro os motivos do desligamento, explicando que a crise causada pela pandemia trouxe a necessidade de enxugar o orçamento.

É de extrema importância que o RH ofereça apoio antes, durante e depois da demissão. Uma das formas de se fazer isso é auxiliar na recolocação do colaborador que acabou de ser demitido ou estender alguns benefícios.

Confira quais benefícios oferecer a esses profissionais para que eles não fiquem desamparados

Algumas atitudes da empresa ajudam a trazer um amparo para os profissionais que foram desligados durante a pandemia. Essa é uma ação importante, pois demonstra que a empresa se preocupa com o colaborador e que a demissão foi o último recurso encontrado para manter o negócio em funcionamento.

Uma das principais atitudes que a empresa pode tomar é prorrogar a duração do plano de saúde do colaborador por alguns meses, até que ele tenha condições de encontrar uma nova ocupação. Além disso, também é possível estender auxílios para o pagamento da escola ou creche dos filhos.

Outra ação muito importante é estabelecer um projeto de recolocação profissional, o que contribui para que os colaboradores sejam incorporados em outras empresas. Nesse tipo de ação, o funcionário dispensado recebe orientação exclusiva de um consultor, participa de palestras, cursos e workshops, é encaminhado para entrevistas de trabalho e recebe, se necessário, apoio psicológico.

Neste artigo, vimos como o processo de demissão deve ser diferenciado no contexto da pandemia, considerando os aspectos da lei e a situação dos profissionais. Em momentos de crise, é fundamental demonstrar empatia, entendendo as necessidades da empresa e dos colaboradores. Portanto, faça todo o processo de forma estruturada, planejada e com respeito aos funcionários.

Gostou das nossas dicas sobre o assunto? Então aproveite para deixar um comentário em nosso artigo, contando suas experiências ou tirando dúvidas relacionadas ao tema!

o que você achou deste conteúdo?

Conte nos comentários.