Carreira

Entenda a importância da Inteligência Emocional para a sua carreira

Time Goowit
Escrito por Time Goowit em 16 de julho de 2020
Entenda a importância da Inteligência Emocional para a sua carreira
Não perca mais nenhuma novidade!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos para desenvolver suas habilidades

O mundo está passando por um estágio de profunda transformação, desencadeado pela pandemia causada pelo novo coronavírus. Tudo isso tem exigido altas doses de Inteligência Emocional (IE), já que a doença literalmente parou o mundo nos últimos meses e, daqui para frente, a sociedade nunca mais será a mesma.

As mudanças de rotinas, o isolamento social e as crises sanitária e econômica têm feito com que as pessoas repensem várias áreas da vida — entre elas, a carreira. Assim, saber lidar com todas essas emoções e ansiedades, mais do que nunca, tem se tornado algo extremamente necessário para conquistar a confiança da equipe e estar pronto para as novas oportunidades e mudanças que estão surgindo, principalmente com relação ao mercado de trabalho.

Para ajudá-lo a lidar com esse período, preparamos este artigo sobre a importância da Inteligência Emocional. Continue a leitura!

O que é Inteligência Emocional?

Trata-se de um conceito do campo da Psicologia que traduz a capacidade de uma pessoa identificar o que está sentindo com mais facilidade, sabendo administrar sensações e sentimentos a seu favor. Essa é uma competência importante para a vida e está presente quando os indivíduos conseguem equilibrar o lado emocional e racional do cérebro, neutralizando as emoções negativas.

Com isso, as emoções positivas são potencializadas, colaborando para o desenvolvimento pessoal e profissional. Isso gera os resultados desejados em todas as áreas da vida.

Dessa forma, compreender o que é Inteligência Emocional e seus pilares, assim como aplicá-los no seu cotidiano, tornará viável a construção de relacionamentos interpessoais mais saudáveis. Ao mesmo tempo, a tomada de decisões conscientes passa a ser mais recorrente, elevando os resultados da sua vida pessoal e profissional.

Isso acontece porque você passa a ter mais consciência sobre os seus atos. Assim, evita arrependimentos diante de atos impulsivos, o que pode atrasar o seu desenvolvimento.

Surgimento da Inteligência Emocional

O conceito de IE ganhou grande repercussão por meio do psicólogo e jornalista norte-americano Daniel Goleman, autor de diversos livros relacionados ao tema. Goleman defendeu, em 1995, que era viável fazer a avaliação de um indivíduo a partir somente de observações acerca da maneira como ele desenvolvia pensamentos ou concluía uma série de questões que parecem não ter ligação direta umas com as outras.

De forma resumida, isso pressupõe que indivíduos com Inteligência Emocional são capazes de tomar decisões com mais agilidade e de forma acertada, em comparação com pessoas que não passaram pelo desenvolvimento dessas importantes competências e habilidades.

Logo, aqueles que desenvolvem Inteligência Emocional são altamente capazes de lidar com outros indivíduos de forma igualmente precisa, gerenciando sentimentos e emoções a favor de um objetivo maior. No entanto, diferentemente do Quociente de Inteligência (QI), a Inteligência Emocional não está no campo intelectual, acadêmico ou científico.

Ela diz respeito a saber reconhecer e lidar com as emoções e com os sentimentos, com o objetivo de alcançar o desenvolvimento pessoal e profissional. A Inteligência Emocional, quando recebe a devida atenção dos indivíduos, é capaz de favorecer os relacionamentos interpessoais, o que possibilita uma maior compreensão das relações pessoais e a melhoria da interação com subordinados e lideranças, proporcionando vantagens para todos.

Essa competência também tem influência direta e de maneira positiva na saúde física e mental. Ela é capaz de prevenir transtornos psicológicos, a exemplo da depressão e da ansiedade, assim como as disfunções psicossomáticas.

Pilares da Inteligência Emocional

A IE é uma importante soft skill, ou seja, uma competência comportamental requerida em todas as áreas da vida. Ela é fundamental no ambiente de trabalho para que se possa alcançar resultados satisfatórios, independentemente do nível hierárquico na empresa, da idade, da capacitação ou da experiência anterior.

Contudo, ela é imprescindível principalmente para as pessoas que ocupam posições de liderança. Nesses casos, a IE atua auxiliando o líder em questões relacionadas à gestão no gerenciamento de situações que tornem mais fluida a condução de suas equipes. Para profissionais que atuam na área comercial, por exemplo, a IE é essencial para negociar, mesmo em ambientes de alta pressão, com argumentos e comportamentos que favoreçam o fechamento de propostas.

Devido a todas as suas vantagens, a IE se tornou uma competência bastante requisitada pelo mercado de trabalho. Isso porque, além de contribuir para o alto rendimento, ajuda na redução de custos, no cumprimento de prazos e na otimização de processos, também aumentando a qualidade das entregas. Para a construção e a sustentação da IE, Daniel Goleman classificou os cinco pilares que sustentam essa competência. Confira!

Conhecer as próprias emoções

Para desenvolver a Inteligência Emocional, primeiramente, é preciso olhar para si e se conhecer, analisando os seus próprios sentimentos e emoções. Também é essencial identificar quais são as ações que o levam a ter respostas a esses estímulos.

Quando você consegue perceber as próprias emoções, tem a chave da Inteligência Emocional. A partir disso, pode usar ferramentas para se desenvolver e alcançar objetivos com mais facilidade.

No entanto, é preciso ter em mente que a IE é um processo que demanda autoconhecimento, que acontece de forma gradativa e que também varia de indivíduo para indivíduo. Por isso, a pressa pode ser uma grande inimiga para quem deseja desenvolver a Inteligência Emocional.

Uma boa forma de começar é passando a conhecer melhor as suas próprias emoções e colocando os seus sentimentos e ações em um papel. Após esse momento, faça uma reflexão profunda acerca disso.

Controlar as emoções

A ansiedade e, até mesmo, o estresse são sentimentos comuns de todos os seres humanos. Por isso, aprender a gerenciar as suas próprias emoções e controlá-las facilitará a sua comunicação no trabalho, ajudando a convencer as pessoas a seu favor ou a favor de situações que você julga importantes ou corretas.

Assim, nas suas relações cotidianas, é preciso evitar pensar no imediatismo, o que pode ser extremamente negativo para as suas realizações. É fundamental manter-se otimista e focar o lado positivo das situações que o rodeiam, lembrando-se sempre de que cada situação traz consigo diversas saídas, mas, para encontrá-las, você precisa deixar a sua zona de conforto a fim de procurá-las.

Em momentos de extrema pressão, em que os desafios podem parecer muito grandes, a coisa mais acertada a fazer é manter a calma. Para isso, é importante tentar encontrar uma distração, realizar uma atividade que lhe seja agradável e canalizar a sua ansiedade.

Praticar a automotivação

O ato de motivar a si mesmo, procurando estímulos internos, é fundamental para encontrar as forças e o equilíbrio necessários para os desafios do dia a dia. Logo, é preciso aprender a responder aos estímulos (tanto internos quanto externos) em um processo consciente, que requer a compreensão de como você se sente. Com essa percepção a respeito de si mesmo, é possível adequar os seus comportamentos para alcançar as suas metas.

Em contrapartida, é preciso saber lidar e identificar as reações negativas, que acontecem de forma inconsciente. Elas dão origem a um gatilho emocional, capaz de expressar a emoção de forma instantânea, o que, com frequência, gera arrependimentos, desviando os indivíduos de suas metas.

Manter a empatia

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, a empatia tem sido uma competência muito requerida pelo mercado de trabalho e também nas relações interpessoais. Ela diz respeito à habilidade de se colocar no lugar do outro e de fazer o reconhecimento de suas próprias emoções, ao mesmo tempo em que o indivíduo é capaz de compreender os seus comportamentos, tornando-se mais sensível e aberto a entender os outros.

Assim, ser uma pessoa empática é fundamental para elevar as relações sociais. Isso também ajuda a equilibrar a Inteligência Emocional nas relações do dia a dia.

Praticar a sociabilidade

Saber circular pelos mais diversos ambientes e lidar com vários tipos de personalidades também é uma característica de quem tem uma elevada IE. Pessoas que dominam as suas emoções são capazes de criar um ambiente positivo à sua volta, não só tornando melhor a sua qualidade de vida, mas também contribuindo de forma positiva para o desenvolvimento de todos ao seu redor.

Quais os benefícios da IE para a carreira?

O profissional que cultiva a IE tem a oportunidade de conversar com cada público de relacionamento (subordinados, líderes, clientes, fornecedores) de maneira a extrair deles seus pontos fortes e fracos. Assim, é possível trabalhar cada um com o objetivo de elevar o seu posicionamento dentro da empresa e, por essa razão, a IE deve estar no seu planejamento de carreira.

No entanto, os benefícios não param por aí, já que é possível, com a ajuda da Inteligência Emocional, ampliar os mais diversos tipos de assuntos e conversas acerca do trabalho. Isso também proporciona uma maior facilidade para resolver questões profissionais sem que as situações do trabalho possam atingir o seu lado pessoal.

Separamos para você, a seguir, quais são os principais benefícios da IE para a sua carreira. Veja!

Gerenciamento de conflitos

Com tantos desafios enfrentados nas empresas todos os dias, como a competitividade por mais mercados e a busca pela excelência e pela qualidade nos processos, saber gerenciar conflitos é fundamental. Isso possibilita se destacar da concorrência, fortalecer o time de trabalho e ainda entregar os resultados esperados pelas organizações.

Assim, pessoas com altos índices de IE são capazes de intermediar interesses em prol de um objetivo maior. Ao mesmo tempo, esses indivíduos também motivam e conquistam a confiança no trabalho das pessoas que estão envolvidas no processo.

Redução dos níveis de estresse

Com tantos desafios no trabalho, não é difícil imaginar que os níveis de estresse são elevados, ainda mais em tempos de coronavírus. Isso porque uma série de medidas devem ser tomadas para garantir as operações, como o trabalho home office.

Pessoas que sabem reconhecer e gerenciar as suas próprias emoções são capazes de passar por esses momentos com muito mais facilidade, ao mesmo tempo em que elevam a sua credibilidade diante do time. Isso acontece porque se tornam uma importante referência para a resolução desses problemas.

Persistência diante dos desafios

Como vimos, a automotivação é uma competência fundamental para alcançar objetivos e uma característica inerente das pessoas que têm IE. Quem apresenta essa competência ainda é capaz de ser resiliente, ou seja, recuperar-se rapidamente de grandes abalos emocionais, ao mesmo tempo em que persiste diante dos desafios do dia a dia nas empresas.

Mais clareza na tomada de decisões

Indivíduos com IE não se envolvem facilmente nos problemas dos outros e, ao se manterem longe do “olho do furacão”, são capazes de tomar decisões mais acertadas. Assim, orientam as pessoas de sua equipe sobre o que fazer e sobre quais são os melhores caminhos a tomar.

Melhora dos resultados no trabalho

Com melhores decisões e uma equipe que confia nas escolhas do indivíduo com IE, fica mais fácil alcançar os objetivos traçados pela companhia e ainda melhorá-los. Isso porque, como as emoções não tomam conta das suas ações, é possível traçar metas objetivas, com caminhos claros e bem definidos, que farão com que o indivíduo passe do ponto A ao B com muito mais facilidade do que aquelas pessoas que desconhecem a IE e a sua importância para a carreira.

Como desenvolver a Inteligência Emocional?

Devido a todas as suas vantagens, é fundamental que os profissionais usem a IE para fazer uma administração mais eficiente das condições agressivas do ambiente de trabalho, com menos nervosismo, estresse e ansiedade. O gerenciamento das emoções permite uma visão mais ampla e estratégica, facilitando a tomada de decisões, ao mesmo tempo em que garante uma comunicação pessoal que facilita uma boa execução das tarefas, tornando os processos cada vez mais eficientes.

Com isso, é possível aumentar a sua produtividade, melhorando a performance e, como consequência, é viável conquistar o reconhecimento e as oportunidades na sua carreira. Veja, a seguir, como desenvolver a Inteligência Emocional.

Busque o autoconhecimento

Para desenvolver a IE, é preciso olhar para dentro de si, observando como você se comporta diante de determinados acontecimentos, independentemente de serem bons ou ruins. Para isso, faça a observação de como são as reações do corpo e da mente, além de perceber as sensações e os pensamentos que foram identificados.

Além disso, em um segundo momento, é preciso tentar descobrir quais foram as situações que desencadearam tais reações mentais e físicas. Dessa forma, você ganhará uma maior consciência em relação a si e conseguirá proporcionar uma mudança quando identificar que os resultados foram negativos.

Aprenda a lidar com a pressão

O cotidiano nas empresas requer soluções ágeis. Nesse cenário, a pressão vem de todos os lados, sendo tanto internas, com as autocobranças, quanto externas, advindas das metas da empresa.

No entanto, é sempre importante estar aberto a aprender a estabelecer uma priorização do que realmente é mais importante. Dessa forma, as ansiedades são minimizadas e, com isso, você evita perder o controle da situação, ou seja, preserva o seu equilíbrio.

Para evitar a ansiedade e o estresse, você pode usar algumas ferramentas de gestão do tempo. Inclusive, algumas são bem simples, como elencar os afazeres do dia em uma lista, criando escalas de prioridade do mais ao menos urgente.

Além disso, cuidar da saúde é fundamental, assim como ter momentos de lazer e uma vida pessoal acontecendo. Isso o ajudará a ter mais equilíbrio para lidar da melhor forma com as pressões do dia a dia. Dessa maneira, quanto mais a sua IE for aperfeiçoada, mais confortável e seguro você vai estar para resolver as suas questões no trabalho.

Pratique a empatia

Já comentamos que a empatia é uma competência fundamental para a vida e, principalmente, para este atual momento, em que as pessoas estão mais sensíveis com o isolamento social e tantos desafios que cercam o emocional em situações desconhecidas. Além disso, a empatia é uma competência dos grandes líderes, pois eles se preocupam com as suas equipes de forma genuína, prezando pelo bem-estar e também pela satisfação dessas pessoas ao fazerem parte do time de trabalho.

Grandes líderes sabem o nome dos seus subordinados diretos, são solidários e solícitos quando necessário e conduzem muito bem situações adversas. Líderes empáticos são capazes de reconhecer que as pessoas ao seu redor têm necessidades e muitas falhas e limitações, mas também são muito talentosas e apresentam qualidades que podem ser exploradas. Nesse sentido, o respeito mútuo acaba surgindo de modo natural, como uma consequência desse exercício.

Ainda de acordo com Daniel Goleman, o autoconhecimento é uma poderosa arma para qualquer pessoa alimentar a empatia e alcançar a Inteligência Emocional. Isso acontece porque quanto mais elevada for a consciência a respeito de si, melhor conseguimos compreender a emoção alheia.

Reduza as emoções negativas

Lidar com as emoções negativas é algo inevitável e, para que o bem-estar próprio seja assegurado, é preciso controlar todos os medos e as ansiedades que o atormentam. Isso porque quando fatos negativos acontecem, eles podem permanecer no nosso interior por um longo tempo, o que pode acabar com a estabilidade emocional.

Assim, a Inteligência Emocional é uma ferramenta altamente valiosa, pois é capaz de apresentar um ponto de vista mais equilibrado sobre a vida. Isso leva a um melhor gerenciamento das nossas emoções, inclusive das negativas.

Aprenda com os feedbacks

Para desenvolver a sua Inteligência Emocional, aprenda com os feedbacks que as pessoas dão. Esses retornos são poderosos insumos para você buscar o seu aperfeiçoamento tanto na vida pessoal quanto na profissional.

Para tanto, será preciso ter humildade, uma habilidade fundamental para quem deseja aperfeiçoar a sua IE. No trabalho, por exemplo, quando um projeto for recusado, além de apurar quais foram as competências técnicas que faltaram para a sua aprovação, pergunte também se a sua conduta poderia ter sido diferente. O que poderia ser melhor? A comunicação? A empatia? O posicionamento positivo?

Peça esse retorno e deixe claro que é para o seu autodesenvolvimento. Com isso, você se mostra aberto a novas ideias, o que com certeza será positivo para o seu crescimento na empresa.

Aumente a sua autoconfiança

Estabelecer metas e caminhar em busca das melhores soluções nem sempre é uma tarefa fácil. Afinal, é preciso fazer o reconhecimento de seus pontos fortes e fracos, empenhando-se para mudar os comportamentos ou aprimorá-los. Todos esses desafios somente podem ser superados por meio da autoconfiança.

Cada pessoa tem dentro de si grandes potencialidades, mas não acredita em si mesma. Por essa razão, acaba por não encarar os obstáculos, julgando-os intransponíveis.

Nesse cenário, acreditar no seu potencial é extremamente necessário para fortalecer a ideia de que você é capaz de gerenciar os instantes de crise e de superar as dificuldades. Logo, ter a capacidade de acreditar no seu potencial e na sua força para realizar grandes feitos é uma ação necessária para decolar com a sua carreira e melhorar a sua qualidade de vida.

Coloque em prática a resiliência

Situações difíceis podem surgir na vida de qualquer um. O que diferencia as pessoas é a forma como elas reagem a tais eventos. A resiliência está em receber os impactos da rotina e ter a capacidade de absorvê-los, mantendo-se firme e focado, aprendendo com os próprios erros e lidando, de maneira inteligente, com os fatos.

Ser resiliente envolve administrar os sentimentos mesmo quando o controle das situações está fora do seu alcance. Trata-se de saber reconhecer as emoções e o efeito que elas causam na sua mente e no seu corpo. Assim, o indivíduo poderá canalizar o seu potencial e aumentar o seu desenvolvimento.

Controle os seus impulsos

Daniel Goleman também defende que todas as pessoas são guiadas por dois cérebros: o emocional e o pensante. O primeiro é referente ao emocional, que sofre as consequências dos acontecimentos. Dessa maneira, o indivíduo que reage é aquele que se deixa levar, mesmo que de forma inconsciente, pelo seu lado impulsivo e emocional.

Ou seja, estamos no campo da ação e da reação, em que basta que algo fora da zona de conforto do indivíduo aconteça para que o seu cérebro reaja instintivamente. Em contrapartida, o cérebro pensante é o que atua respondendo a tudo o que acontece.

Ele, em vez de apenas agir de forma instintiva, é capaz de analisar toda a situação ao seu redor e decidir qual é a maneira mais eficiente de se comportar diante de determinada situação. Logo, é preciso fugir do modo automático e usar o seu cérebro pensante para agir de forma racional.

Conheça os seus limites

À medida que você toma consciência de si, é capaz de avançar nas questões relacionadas ao autoconhecimento. É esse motivo que o faz se reconhecer a cada dia mais.

Dessa forma, você passa a perceber que tem certas limitações e que é preciso saber lidar com elas. Para isso, deixe de enxergá-las como incapacidades, pois todas as pessoas têm pontos fracos e isso é extremamente normal. Quando você reconhece que todos os indivíduos são dotados de sentimentos e emoções e que errar faz parte do processo de evolução, fica mais fácil criar uma trilha de aprendizado constante, que o levará até os seus objetivos profissionais.

Como a tecnologia pode ajudar a desenvolver a Inteligência Emocional?

O Goowit tem uma plataforma ideal para alavancar os seus resultados profissionais. Trata-se de uma ferramenta que faz a identificação das competências e das habilidades de cada usuário.

Nesse sistema, você encontra meios para aprimorar o seu desenvolvimento emocional e profissional. Para isso, você vai entender melhor as questões relacionadas ao comportamento humano e como fazer networking com profissionais e empresas. Tudo isso com uma assessoria completa!

A ferramenta do Goowit ainda permite que você mapeie as suas soft skills, faça a análise do seu perfil comportamental e tenha acesso a uma mentoria de carreira utilizando inteligência artificial, trilha de aprendizagem e outras ferramentas e soluções para você encontrar a empresa mais alinhada com o seu perfil profissional.

Como vimos ao longo da leitura, a Inteligência Emocional é fundamental para todas as áreas da vida, em especial para a vida profissional, principalmente diante do atual momento que estamos vivendo. Neste período, a necessidade de adaptar-se a mudanças e lidar com situações inesperadas tem sido uma constante.

Se você gostou deste artigo sobre Inteligência Emocional, cadastre-se gratuitamente e saiba como as nossas soluções podem ajudá-lo!

o que você achou deste conteúdo?

Conte nos comentários.